Buscar
  • Administrador

A LOJA MAÇÔNICA VIRTUAL

A LOJA MAÇÔNICA VIRTUAL


Com a chegada do Corona Vírus, as Reuniões nas Lojas Maçônicas foram interrompidas devido ao perigo de contaminação que poderia ocorrer com a aglomeração de Irmãos e, obviamente, levando em conta que vários Maçons pertencem aos grupos de risco.

Todavia, para suprir a falta do contato “tête-à-tête" - tão importante na integração dos Obreiros - e na efetivação dos Trabalhos Maçônicos, buscou-se realizar encontros online, valendo-se da internet.


Sem dúvida, uma excelente iniciativa, por parte dos Veneráveis Mestres que visualizaram uma maneira moderna de suprir a lacuna gerada pela situação desastrosa que atingiu à Maçonaria e a todo o mundo.


Contudo, por melhor que tenham sido as coordenações exercidas pelos Dirigentes e a mais perfeita participação dos Irmãos, tais encontros não podem ser entendidos como Reuniões Ritualísticas. Primeiro, por não terem seguido os procedimentos estabelecidos no Rito adotado pela Oficina e, também, pelas próprias condições ambientais não serem propícias e peculiares à realização dos Trabalhos Maçônicos. Com certeza, o ambiente físico nas transmissões virtuais dos encontros, não se enquadram no modelo estabelecido para ser considerado um Templo Maçônico.


Entretanto, acreditamos, também, que esses encontros, além de promoverem um intercâmbio cultural, ampliando significativamente o conhecimento dos Irmãos participantes, tenham servido de estimulação, inclusive acelerando os interesses, quanto à modernização da Maçonaria brasileira, nesse aspecto.


Sabe-se, perfeitamente que os tempos mudaram e, em tais mudanças, surgiram novos acontecimentos. Os avanços tecnológicos, científicos e sociais provocaram novas condições de vida e acabaram gerando a necessidade das Instituições se atualizarem sobre estes modelos de atuação.


Há um bom tempo, já se faz compra pela internet e, atualmente, são bem comuns as consultas médicas online, da mesma forma que os tratamentos psicológicos são realizados, sem o paciente precisar sair de suas casas. Na própria Maçonaria, já se realizam cadastramentos e outros procedimentos administrativos, pela internet.


Entrementes, todos esses avanços estabelecerem procedimentos progressivos, também, provocam muitas dúvidas sobre como seriam as dinâmicas dos procedimentos a ser desenvolvido, o que, naturalmente, exige que as Instituições se preocupem em criar e estabelecer novos protocolos, buscando padronizar as suas atividades e atendimentos.

E na Maçonaria, não poderia ser diferente. Com o recebimento e interferências diretas desses avanços, acreditamos que o surgimento de Lojas Virtuais deva acontecer muito em breve. Inclusive, é interessante que se diga que já existem grupos de Irmão estudando e promovendo reuniões, visando à criação de Lojas Virtuais Maçônicas, a exemplo da existente no Canadá e que se encontra em pleno funcionamento.


Evidentemente, acreditamos que todas as providências administrativas, ainda que devam ser bem planejadas e estruturadas, levando em conta as provisões e outros pormenores particulares relacionados aos desempenhos e procedimentos da Oficina, não são tarefas tão difíceis e impossíveis de serem efetuadas; e, de certa forma, não geram tanta preocupação, no entanto, três outras providências promovem e exigem muita atenção:

- A Adoção de um Rito.


Nenhum dos Ritos prevê ou sequer permite adaptações em sua Ritualística, sendo até considerada Grave Infração Maçônica a inclusão de qualquer alteração. E, uma vez que os Trabalhos em uma Loja Virtual serão realizados online, isto é, fora de um único ambiente físico, a adoção de qualquer Rito, nos parece impossível, haja vista que certas partes, tanto das Cerimônias, como da própria Sessão Ordinária, estabelecidas pelos Ritos existentes, jamais, poderão ser efetuadas, uma vez que algumas requeiram as presenças físicas de Irmãos juntos, no mesmo local. E isso, implica numa série de distinções.


Parece-nos ser mais propício e até mais Maçônico, a criação de um Rito diferenciado, contendo uma ritualística com características próprias, particulares e peculiares às condições e circunstâncias exigidas numa Realização Virtual, ainda que se embase nos Ritos regulamentados.


Nosso parecer se escuda no reconhecimento de muitos Ritos terem sido criados em razão de certas contingências; ora, ensejado pelas circunstâncias surgidas; ora, devido aos interesses reinantes; inclusive, determinados Ritos foram criados por causa de divergências de opiniões e de crenças. Contudo, mesmo existindo Ritos já professados, os novos foram criados, passaram a ser aplicados e, posteriormente, regularizados... e praticados até hoje.


A História da Maçonaria conta como se deu a passagem da Ordem do período operacional para a fase especulativa, levada pelas mudanças intelectuais, econômicas e sociais, evidenciadas pelo iluminismo e pelas reformas. Hoje, os avanços são tecnológicos e científicos, quiçá, exigindo que a Ordem se adapte às novas mudanças que eles proporcionam. Pensando bem, as adequações estão bem correlacionadas às que foram efetuadas no passado. Então, por que não se criar um Rito inerente à modernidade Virtual?


O Ambiente Físico.


Costumeiramente, as Lojas se reúnem em um Templo Maçônico, edificação planejada, construída e preparada, exclusivamente para a realização de Trabalhos Maçônicos. Assim sendo, o Templo constitui-se em um ambiente único, privado, próprio e isolado de tudo.

Outras vez os relatos históricos nos lembram que os Maçons, antes de terem um local próprio, se reuniam em tavernas e em grutas. Observando, com certa acuidade, podemos verificar que esses lugares, mesmo não sendo específicos, constituíam-se em um ambiente único e isolado.


Já uma Loja Virtual, além de não ter um ambiente único que promova uma uniformização do lugar, estará sujeita a tantos ambientes físicos quantos forem os Irmãos reunidos, já que todos os participantes deverão estar em locais diferentes um dos outros. E, por mais isolado que o Maçom participante possa estar, sempre ocorrerá a possibilidade de haver uma interveniência alheia. E isso, interfere na concentração e no próprio desenvolvimento da Sessão. Como o “Templo” (improvisado e com vários ambientes) estará a coberto?


Não só isso, mas, a própria decoração do lugar ocupado pelo Irmão, pode despertar ou desviar à atenção dos participantes. Um quadro, um utensílio, um ornamento, enfim qualquer coisa mais ousada poderá interferir e mudar o desempenho de outros participantes e até mesmo de todos. E, ainda, existe o fato de onde a Internet está instalada e o lugar de melhor acesso. Tudo tem e deve ser levado em consideração.


Para ilustrar a importância de tais circunstâncias, informamos que na realização das terapias psicológicas, leva-se muito em apreço o ambiente onde se encontra o paciente. Ainda que possa ser um local pessoal, o cuidado com influências tem que ser levado muito a sério. Qualquer interferência pode ser prejudicial tanto à pessoa, que está em tratamento, como à própria terapia. Inclusive, a preocupação com o sigilo é por demais importante.

Pensamos ser interessante relatar o fato em que um paciente advertiu ao Psicólogo que ele, durante o seu tratamento, iria se manter dentro do seu carro, pois, lá, ninguém o importunaria e a internet era bem mais acessível.


Imaginem um Irmão, para participar de uma Reunião Virtual, ter que se localizar no seu veículo.


A Indumentária a ser usada


Para participar de qualquer Sessão Maçônica, o Maçom deverá estar trajando a indumentária, estabelecida no Ritual, e revestido de suas insígnias.


Nas Reuniões Virtuais, os Irmãos deverão trajar-se da mesma maneira e portarem suas insígnias, considerando que eles estarão participando de Trabalhos Maçônicos.

Muitos perguntarão para que, se o Maçom sequer estará saindo de sua casa. Entretanto é importante relembrar que o traje caracteriza o Maçom. O militar, em serviço, seja o lugar em que se encontre, usa a sua farda; o médico e o dentista, os seus jalecos; e muitos outros profissionais, para se distinguirem usam uniformes, que não os humilha, pelo contrário, todos se sentem honrados em trajá-los.


Talvez até se possa estabelecer um traje mais simples, inclusive o balandrau. Em Portugal, os Maçons, no verão vão às Sessões de calca e camisa, não usam o paletó.


Qualquer que seja o traje estabelecido ou permitido, jamais, o avental poderá ser dispensado. Ele traduz a essência da dignidade.


E para concluir nossa explanação, gostaríamos de dizer, simplesmente, que as mudanças fazem parte e enriquecem a vida, e, em verdade, não há como fugir de tais prerrogativas.


Assim, é oportuno lembrar que o GOB tem como divisa “NOVE SED ANTIQVE”... cremos que complementa as nossas palavras... não vemos necessidade de interpretar.


Obrigado


Um TFA muito especial.


Acadêmico Ir.: Hever da Silva Nogueira

Cadeira nº 13 – Patrono : Ir.: Kurt Prober

CIM 97619




16 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

A COMUNHÃO DAS IDEIAS

A comunhão das ideias não nasce pronta, seus caminhos são tortuosos. É preciso ser sensível ao bem para uma sintonia; os corações duros se instrumentalizam com equipamentos duvidosos, em constante des

ELDCON CONTABILIDADE ENEAS
Gavi
Centro Nutrologia e Nutrição