Buscar
  • Carlos Cezar Gonçalves da Rocha

Do Caráter Fraternal


Do Caráter Fraternal

A convicção de estar no caminho certo nos permite avançar, como também nos obriga a refletir, sobre para quem e quantos este caminho é o mais correto, o mais acertado.

A avaliação constante é arma fundamental dos grandes planejadores, dos nobres articuladores e, sobretudo, postura sábia daquele que coordena, que responde, de fato e de direito, por uma instituição, ou seja, o seu gestor.

As boas ideias, os bons temas, nem sempre estão atrelados às grandes apresentações ou aos grandes eventos. Uma frase curta, uma leitura modesta, pode proporcionar uma viagem singular àqueles que a ouvem, de forma que poderá desatar nós, ultrapassar barreiras antes aparentemente instransponíveis, além de muitas vezes, iluminar determinadas mentes, que na melhor de suas intenções, ao invés de agregar valores, com suas ideias esdrúxulas, involuntariamente se agrupam a pseudopares, gerando verdadeiros “cabos de guerra”, que por via de consequência, divide forças enfraquecendo o que precisa ser fortificado.

As instituições quando em harmonia, ou em sua busca, não poupam esforços para premiar seus membros, extraindo deles seus bons conteúdos, como também buscam no ambiente externo, pessoas capazes de apresentar trabalhos profícuos, que somados aos valores domésticos, elevam o “status” da referida instituição, proporcionando a todos os seus membros, mais conhecimento, mais alegria e maior vontade de se fazerem presentes, engrossando ainda mais as fileiras do bem, as fileiras dos homens justos, que buscam estarem em perfeita harmonia com o Grande Arquiteto do Universo.

Enquanto irmandade de caráter fraternal, nosso foco não se distancia dos objetivos, já que não sendo meramente um clube, não podemos permitir que ideias diferenciadas comprometam a harmonia da relação, conduzindo-nos a lugares, se, não iluminados, sombrios, alienando, de forma pejorativa, nossos cristalinos objetivos.

Precisamos cada vez mais absorver o entendimento de que não podemos baixar a guarda, o tempo não para e parece-nos até que tem andado mais depressa, nos obrigando a também sermos mais rápidos, sem comprometermos nossa eficiência.

Nosso melhor rendimento está atrelado a errarmos menos e para tal é fundamental o aperfeiçoamento diário, o aperfeiçoamento constante. Mente iluminada é também garantia de saúde emocional em dia. De posse desses “atributos” nosso corpo físico responde e sendo ele o templo do espírito, estaremos em dia, não só para construirmos templos a virtude, como também, templos em forma de prédios para abrigar nossas sessões, nossas confraternizações, extensivas aos nossos familiares.

É nessa roda vida que estamos inseridos e nada escapa, aos olhos do GADU. Na qualidade de eternos aprendizes, sempre é tempo de recebermos novos ensinamentos, de cuidarmos um pouco mais de nossas palavras e da forma que agimos.

Sendo a união dos homens o propósito da maçonaria; sendo nós, maçons, cidadãos do mundo, agreguemo-nos. Esta é uma senha forte, para edificarmos valores, verdadeiramente fraternais.

Assim, estaremos trilhando no caminho da luz, fazendo o bem para a humanidade e agradando ao GADU ...que é Deus.

Era o que continha.

Carlos Cezar Gonçalves da Rocha

Era o que continha.

Carlos Cezar Gonçalves da Rocha

#fraternidade #gestor #harmonia #união #GADU #valores

5 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

O IDEAL QUE GEROU A AMLES

O IDEAL QUE GEROU A AMLES Em cinco de julho do “anno Domini de mil novecentos e noventa (1990), às dezenove horas (19:00) sob a Proteção do Grande Arquiteto do Universo e inspiração de Tiradentes”, co

ELDCON CONTABILIDADE ENEAS
Gavi
Centro Nutrologia e Nutrição