Irmão Carlos Cezar Gonçalves da Rocha

Saudação aos 28 anos da Amles

 

Ode as Bodas de Hematita

Qual o preço a pagar pelo apreço que tenho por nossa Arcádia, nesse dia festivo, quando se comemora seu aniversario? Inspirado em Chico Buarque, responderia, “o apreço não tem preço”. 

 

Como se num casamento da Academia com seus acadêmicos, podemos dizer, que após as bodas de papel, de cristal, de prata, mesmo que ainda longe da de ouro, vivemos as bodas de hematita, a pedra da cura e da vitalidade e, em seu significado original, sangue, nos cura da ignorância e amplia nossa longevidade. Esse tecido líquido e transportador, que para os ilustres confrades da Academia Maçônica de Letras do Espírito Santo, aguça o entendimento e a inspiração, apontando para a emergencial necessidade de nos transportar, diariamente, do calabouço para a libertação, para a liberdade de pensar, escrever e publicar. 

 

Para usufruirmos do direito que temos, tal qual a obrigação, de zelarmos pelas letras maçônicas e pela sustentabilidade de nossa instituição.

 

Não somos muitos, não somos rápidos e não somos barulhentos; como imagem e semelhança do GADU, que é Deus, com Ele aprendemos a trabalhar em silêncio, e da mesma forma que a dignidade filtra, os efeitos de nossa labuta, encharca corações, amplia horizontes e amadurece ideais.

 

Que nossa festa tenha o gosta da convocação, que flua dentro de cada membro, como o orvalho de Hermom, e “como o que desce sobre os montes de Sião; como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba de Arão”, possamos dizer:  Oh! Quão bom e quão suave é que possamos vivam em união e fazer progresso em nossa Academia, a Academia Maçônica de Letras do ES.

 

Parabéns para todos os Confrades Irmãos; parabéns para nossa Arcádia nesses 28 anos de existência!

 

Carlos Cezar Gonçalves da Rocha

Presidente