Buscar
  • Dario Angelo Baggieri

A Construção do Ser e a Deusa da Discórdia


A Construção do Ser e a Deusa da Discórdia

A Deusa da Discórdia sempre esteve e estará presente nas relações humanas, ela faz parte do cotidiano do ser vivente, respondeu o Sábio Mestre a um questionamento, após uma palestra no Mosteiro de Sceta. Por isso, Deus que é Pai e de Compassiva Misericórdia, nos deu dois ouvidos, sendo um à direita para que pudéssemos ouvir a voz da Razão, e outro à esquerda para que pudéssemos ouvir a voz do espírito, que reside no coração. Mas, nos deu apenas uma boca, para expressarmos aquilo que pode e deveria ser explanado, após a balança do que deve ou não causar discórdias. Aí entrariam os questionamentos: Como seria o mundo e a vida sem discórdias, sem sofrimentos, sem os contrários de pensamentos? Qual seriam os motivos de virmos a esse vale terreno se não houvesse mais nada a ser resgatado para nossa construção individual e coletiva?

Fica claro o entendimento que precisamos ser construídos, lapidados e moldados à essência divina e para isso temos que ser trabalhados pelo Maço e o Cinzel da vida, onde cada um o será, em conformidade com o seu merecimento, com a sua capacidade de resiliência, com sua potencialidade de ser polida em verdade e espírito. Mas esses aplanamento e desbastes, não surtiriam nenhuma modificação no cerne da complexidade da alma, se não houvesse pedras e percalços a serem transpostos e isso só se consegue com a utilização das demais ferramentas. Aqui começaríamos com a régua e o Compasso, pois a régua representa o trabalho, o tempo necessário, a arte de traçar retas e construir paradigmas que serão energizados pela sublimidade do Compasso, fonte de toda energia do cosmo, essência das virtudes oriundas do espírito, emblema da verdadeira essência da justiça divina. O quão bom e suave é esse desbaste orquestrado pelo Supremo Árbitro dos Mundos, que é Deus. Após esses desbastes, a pedra bruta, já não está mais disforme, já tem alma, já possui o poder de discernir o seu progresso na Caminhada que está empenhando. Agora esse caminhar pode ser acrescido de outras emblemáticas ferramentas, tais como a alavanca e a régua, pois a alavanca nada produziria sem a direção da Verdade e da Justiça. Seria apenas um instrumento de força, sem sentido e direção. Agora, o ser em construção, já estaria mais completo , mas infelizmente ainda possível de ser iludido pela Deusa da Discórdia, pois ainda lhe faltam outros elementos na égide de sua formação moral e espiritual. Após adquirir o poder da força, da direção de seu trabalho, avalizado pela virtude da justiça, pouco lhe faltaria para ser completada a lapidação completa. Ainda lhe são necessários alguns passos nessa caminhada, pois o CRIADOR, desde a construção do homem, quis fazê-lo imperfeito, para que pudesse ir progredindo paulatinamente na seara do bem, da Fraternidade e acima de tudo do Amor incondicional a todas as criaturas.

Necessitaria ainda de mais uma lapidação, a ser adquirida com o aprendizado do esquadro que mantido associado a régua da razão e do tempo, lhe transmite a retidão de princípios, para que não se desvie mais do caminho, onde a discórdia da Deusa já não encontre terreno fértil para brotar, onde não haja o adubo das vaidades, da perfídia, da ignorância e dos erros, os verdadeiros elementos da derrocada do ser humano, que infelizmente, grassam livremente no meio maçônico.

Bem, agora o ser já está pronto, construído, erigido pelos instrumentos do Criador Incriado. Estaria pronto para suportar as vicissitudes e efemeridades que lhe são conspurcadas pela Deusa da Discórdia? À primeira vista sim, mas com a visão perfeita de Deus, ainda não. Precisa de um último procedimento: uma espada sobre seu coração, para nortear as suas condutas, os seus passos, o seu proceder. Agora sim, o ser está completo. Dono de seu destino, senhor de seus atos, apologista das virtudes, da moral e dos bons costumes.

Mas Amado Mestre, e se ele não fizer nada disso que descrevestes acima e ouvir a voz da Deusa da Discórdia e voltar a fazer e praticar a iniquidade, a perfídia, a vaidade e a discórdia? Inquiriu o Aprendiz.

O Mestre apenas sorriu e respondeu: Esse aí, meu Amado irmão, sempre será uma pedra Bruta INLAPIDÁVEL, terá que passar por esse processo inúmeras vezes, pois Deus sempre tem esperança de um dia, ela possa ser polida pelos Seus instrumentos.

Dario Angelo Baggieri

MI CIM 157465

AMLES Cadeira Nº 1

Patrono Alferes Tiradentes


8 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

O IDEAL QUE GEROU A AMLES

O IDEAL QUE GEROU A AMLES Em cinco de julho do “anno Domini de mil novecentos e noventa (1990), às dezenove horas (19:00) sob a Proteção do Grande Arquiteto do Universo e inspiração de Tiradentes”, co

NÚMEROS E LETRAS

M3U5 QU3R1D05 4C4D3M1C05 3 1RMA05... 3F37IV4M3NT3, 05 NUM3R05 FOR4M CR14D05 P4R4 QU4N71F1C4R, P0R3M 0 C3R3BR0 HUM4N0 P0551B1L174 D3C1FR4R 3 3N73ND3R QU4LQU3R 73X70 35CR170 C0M NUM3R05 3 L37R45 1N73RC4

ELDCON CONTABILIDADE ENEAS
Gavi
Centro Nutrologia e Nutrição