Buscar
  • Hever da Silva Nogueira

Ode À AMLES


A chama ardente do ideal fluía forte...

E, entre audazes Irmãos, rápido, se expandia...

Era o momento de implantar um novo norte,

A içar mais alto o nome da Maçonaria.

Muitas ideias... uma só conjectura...

E o grande objetivo se mantinha terso:

Criar, na Ordem, novel Celeiro de Cultura,

Sob a proteção do Arquiteto do Universo.

Eis que, no histórico dia cinco de julho...

Mil, novecentos e noventa... Era Vulgar...

Surge a Academia de Letras, cujo orgulho

Visa a Cultura Maçônica, divulgar.

E, assim, o Maçom Capixaba viu nascer,

Em pleno arrebol da mais nobre aspiração,

A Confraria Maçônica do Saber -

Justa e Perfeita - em sublime convicção.

A ampulheta, a rodopiar, traçou um tempo...

Em que os desígnios impuseram desafios...

Sem lhe importar o mais terrível contratempo,

Ao final, resplandeceu altiva em seus brios.

Hoje, autêntico Santuário de fomento.

Há de eternamente luzir, por ser um leste,

A expandir as luzes do conhecimento,

Sempre,“Quia Sapientia Immortalis est”!

Acadêmico Ir.: Hever da Silva Nogueira –

Cadeira 13 – Ir.: Kurt Prober


11 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

O IDEAL QUE GEROU A AMLES

O IDEAL QUE GEROU A AMLES Em cinco de julho do “anno Domini de mil novecentos e noventa (1990), às dezenove horas (19:00) sob a Proteção do Grande Arquiteto do Universo e inspiração de Tiradentes”, co

ELDCON CONTABILIDADE ENEAS
Gavi
Centro Nutrologia e Nutrição